O objetivo do acordo de cooperação técnica assinado pelo Governo do Pará e a União, por meio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), nesta quarta-feira (8), busca auxiliar os produtores paraenses na utilização de tecnologias e soluções inovadoras para ampliar a produção preservando o meio ambiente.

O documento foi assinado pelo governador Helder Barbalho e pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão, que também é presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal , no Palácio dos Despachos na capital paraense durante uma reunião de trabalho com a presença de representantes do setor produtivo, Embrapa,  técnicos da vice-presidência, além de secretários e dirigentes do Estado.

O acordo de cooperação técnica será uma importante ferrada para estimular a agricultura sustentável através de projetos que gerem eficiência na produção sem atingir o meio ambiente com o uso de soluções inovadoras voltadas ao ordenamento territorial e à regulação ambiental; desenvolvimento de cadeias produtivas sustentáveis; combate ao desmatamento ilegal; conservação de recursos naturais; promoção de sistemas agroflorestais e outras formas de uso sustentável do solo, recursos hídricos e demais recursos ambientais.

Durante a reunião o governador do Pará ressaltou a importância do combate aos crimes ambientais na Amazônia e criação de politicas públicas capazes de mudar a cultura de degradação ambiental na produção, bem como ações historicamente necessárias como a regularização fundiária no Estado.

“ É fundamental para solução do desenvolvimento sustentável que possamos ter alguns pilares da estratégia. Comando, controle e fiscalização para poder repreender a ilegalidade. Termos, também, a regulamentação fundiária, assistência técnica e o apoio ao fomento para garantir que os produtores possam ser sustentáveis e, com isso, estaremos garantindo que produzam sem derrubar a floresta” – governador Helder Barbalho .”

Já o vice-presidente da República aproveitou a oportunidade para reforçar a função de meio articulador do Conselho Nacional da Amazônia Legal com os estados. Hamilton Mourão também salientou a importância da integração entre União, Estado, municípios e setor produtivo.

“Hoje tivemos essa reunião com convergência de propósitos em torno do que é necessário ser feito para avançarmos na produtividade da região, preservação do meio ambiente e impedir que ilegalidades, como desmatamento e queimadas, ocorram” – Hamilton Mourão, vice-presidente da República e presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal.”

De acordo com o Boletim de Desmatamento do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), o Pará foi o estado com o maior índice de desmatamento da Amazônia Legal durante o mês de abril. O levantamento apontou que cerca de 530 km² foram desmatados em toda a Amazônia legal. Desse número, 32% em território paraense, gerando um desmatamento crescente de 171% em relação ao mesmo período do ano anterior. As áreas mais afetadas se concentram em 10 municípios do interior do Estado e estimasse que as áreas desmatadas têm o objetivo de atender a cadeira da pecuária.

( Com informações da Agência Pará e IMAZON)
Fotos: Marcos Santos / Agência Pará // walter campanato/ Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui