O ministro da Justiça do Japão, Katsuyuki Kawai, renunciou ao cargo. Ele é o segundo ministro do Gabinete a renunciar em menos de uma semana.

Segundo uma revista semanal japonesa, a esposa de Kawai violou a lei eleitoral durante sua candidatura bem sucedida para uma vaga na Câmara Alta do Parlamento. A revista diz que Anri Kawai fez pagamentos a funcionários da campanha que excederam o limite legal.

A reportagem menciona ainda irregularidades no gabinete do próprio ministro, alegando que seus funcionários enviaram batatas, milho e outros presentes a seus eleitores.

Kawai apresentou sua carta de renúncia ao premiê Shinzo Abe nesta quinta-feira, 31/10. Ele disse a repórteres que assume a responsabilidade pelas dúvidas que surgiram e que podem abalar a confiança da população.

A renúncia do ministro da Justiça ocorre após o novo ministro da Indústria ter renunciado na última sexta-feira, 25/10, devido a suspeitas de doações e ofertas de presentes ilegais a seus eleitores.

O premiê Abe disse que está avaliando com seriedade as fortes críticas decorrentes das renúncias consecutivas. Masako Mori, parlamentar na Câmara Alta pelo Partido Liberal Democrático, vai substituir Kawai. Ela já havia ocupado o cargo de ministra encarregada de medidas para lidar com o declínio da taxa de natalidade.

(Com informações da Agência Brasil)

Foto: Reprodução/TV NHK

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui