Com um rico legado cultural do encontro festivo entre os ritmos do carimbó, samba de cacete, lundum, boi-bumbá, coco, cirandas e cantos sagrados tradicionais, o grupo Vozes de Fulô, formado em 2014, parte desta identificação rítmica das raízes africanas, indígenas e caboclas para expressar sua música através do tambor. É dessa profusão de ritmos e ancestralidades que o grupo propõe uma programação extensa de atividades para celebrar o carnaval 2020 com muito batuque em conjunto com diversos parceiros da música e das ruas, de Belém e de São Paulo.

O Grupo Vozes de Fulô fará dois cortejos, o primeiro neste domingo (9), com concentração na Praça da República em direção à Feira do Açaí e um segundo cortejo que tem concentração na Praça Dalcídio Jurandí no bairro da Cremação, no dia 01 de março, que marca o aniversário do grupo Vozes de Fulô e o início da vivência com o Mestre Nenê no bairro da Cremação, encerrando a noite com roda de capoeira.

A programação dentro dos cortejos é aberta à quem quiser tocar, performar, ou apenas desfilar ao som de muito batuque pelas ruas de Belém. E já conta com alguns artistas, grupos de carimbó e performances como: Cidade Tambor, SaTivxs do Mangue, Tamuatás do Tucunduba, Falsos do Carimbó, Canto Caboclo, Leandro Haick, Sarita Themonia, Carlos Vera Cruz e Ruth Costa.

O Mestre Nenê fará uma vivência sobre Tambor de Crioula, Samba de Roda e Capuera Angola em Mosqueiro entre os dias de 26 e 28 de fevereiro e no bairro da Cremação entre os dias 2 e 4 de Março, no Cras da Cremação e tem como o público alvo os frequentadores do centro. Para quem não for do bairro o valor simbólico de contribuição para vivência é R$ 40,00. Para inscrições é preciso entrar em contato com a produtora Maiara Almeida pelo telefone (91) 9 82398409, ligações ou whatssapp.

O Grupo Vozes de Fulô

A formação do grupo Vozes de Fulô se deu a partir das vivências nas esquinas das ruas de Belém onde pulsa a resistente vida cultural da cidade. Constituído de modo independente, o grupo vem desenvolvendo ações sociais com diversos coletivos e grupos alternativos e periféricos da capital paraense. “Acreditamos que o tambor é uma linguagem ancestral, cuja a sua existência se apresenta como uma ferramenta de grande força de comunicação, contribuindo para a preservação da identidade ancestral deste ser amazônida.” afirma o grupo. 

SERVIÇO

Cortejo de Carnaval – Flor de Aroeira 
9 de Fevereiro – Cortejo, concentração às 13h na Praça da República com Cidade Tambor e segue em direção a Feira do Açaí
1 de Março – Cortejo na Cremação com a presença do Mestre Nenê que abre as vivências na Cremação, a partir das 16h na Praça Dalcidio Jurandir.

Vivência com Mestre Nenê
Dias 26, 27,28 de Fevereiro em Mosqueiro – Porto Arthur – Pass. N. Sra do Ó n: 18.
2, 3, 4 de Março  – Vivência no CRAS da Cremação, Av. Alcindo Cacela, 2993 próximo a Praça  Dalcidio Jurandir.

Fotos: Divulgação Mestre Nenê/ Vozes de Fulô

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui