Em mais uma entrevista exclusiva à TV Record, desta vez no “Domingo Espetacular”, o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a TV Globo pela exibição de uma reportagem no “Jornal Nacional” que associou o seu nome às investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco. Ainda que num tom bem diferente do adotado numa live no Facebook, na última terça-fera (29), o presidente usou novamente palavras pesadas ao se referir à emissora, a quem acusa de persegui-lo.
Em resposta ao repórter Thiago Nolasco, que perguntou se considerava o caso encerrado, Bolsonaro disse que não, iniciando uma longa fala, de quatro minutos seguidos, com apenas uma breve interrupção, com críticas ao governador do Rio, Wilson Witzel, e à Rede Globo.

“Uma emissora de televisão, como a Globo, não pode jogar um balde de coisa suja em cima de mim, naquela matéria da semana passada, e depois fica por isso mesmo, não. Primeiro, a Rede Globo de Televisão tem que explicar quem é que vazou um processo que corria em segredo de Justiça para eles”, afirmou Bolsonaro, ignorando que a emissora tem o direito constitucional de preservar as suas fontes.

Mais para frente, Bolsonaro voltou a fazer esta cobrança: “Então, sou uma pessoa que sou constantemente perseguida. E comprovo, com este último caso da senhora Marielle Franco. Desculpa aqui o linguajar: é um jornalismo sujo por parte da TV Globo. Inclusive eu os tenho desafiado: ‘TV Globo, me dá um espaço de 15 minutos, ao vivo, no Jornal Nacional pra explicar isso e mais coisas. E obviamente vou cobrar de vocês quem vazou isso para vocês”, declarou.

(Com informações de Mauricio Stycer)

Foto: Reprodução/ Record TV

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui